sábado, 26 de fevereiro de 2011

Sábalada

Há quem diga, que Sábado sem balada, não é sábado. Assim como macarrão sem queijo, é que nem namoro sem beijo.

Mas existem tantas opções hoje em dia que possibilitem tal prática? Já que o que se chama de "balada" hoje em dia, são as chamadas festas eletrônicas ou raves, bailes funk, rodas de samba e pagode. Você já perguntou aos seus pais e avós, para saber como era no tempo deles? Será que ir ao teatro, ou a um cinema com sessões de madrugada é tão retrógrado assim? É brega sentar em uma praça pública em uma roda de violão, com um vinho de origem duvidosa com um ótimo custo benefício?

O fato é que, grande parte das pessoas (principalmente os jovens) permitem-se influenciar pela opinião dos outros. Ou seja, que graça tem chegar na Segunda, na escola ou na faculdade e não ter ou não ser o assunto da roda dos amigos antes da primeira aula.

Hoje, o livre-arbítrio acaba sendo transformado no livre-arbítrio-pressionado.

Faça o que você bem entender, cada um tem o seu ritmo, seus gostos, suas preferências, e principalmente os seus PRINCÍPIOS.

Faça valer os momentos da sua vida, como lhe é benéfico.